top of page

GESTÃO HUMANIZANTE

10. UMA OUTRA ABORDAGEM COM PESSOAS (DIAGRAMA)

Se estamos objetivando a expansão da consciência organizacional e esta é a resultante da junção de várias consciências humanas, lógico será colocar no centro do foco de atenção as pessoas, compreendendo então, o papel que cada uma exerce e o grau de influência no todo.

Em minha jornada em empresas, a medida que me afastava das obrigações mais técnicas, ganhava gosto por interagir e lidar com pessoas e equipes. O ponto mais alto de exercício dessa aptidão foi quando liderei o projeto de mudança cultural o qual batizamos de “UMA OUTRA ABORDAGEM COM PESSOAS” cujo resumo é demonstrado no DIAGRAMA 10 abaixo.

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Era uma empresa multinacional que vivia, quando assumi a presidência na subsidiária Brasileira, uma situação mais voltada para o lado esquerdo do DIAGRAMA 7 acima. Muitas iniciativas foram implementadas durante o tempo do projeto, mas a mais importante de todas foi direcionada para as pessoas. A quebra da inércia instalada de um ambiente reativo, defensivo lastreado pelo medo e pelo autoritarismo para transformá-lo em um campo instigante e desafiador no sentido colaborativo onde todos tinham conhecimento de onde queríamos chegar e qual a contribuição de cada um para isso. Para tanto criamos 3 blocos de sustentação: a) Referencial Estratégico (bússola): clareza em valores, propósito e objetivos amparado por um sistema de comunicação efetivo; b) Combustível: iniciativas de melhoria das condições de trabalho baseados no entendimento dos anseios dos trabalhadores; c) Força Motriz: sistema de acompanhamento de resultados, apoio, reconhecimento e celebração do sucesso. Todo dia era um convite para novas ideias sendo as melhores práticas postas em evidência e disseminadas para todos na organização.

 

Essa experiência me deu a oportunidade de experimentar, na vida real, aquele jargão encontrado na maioria dos livros de gestão que diz: “Pessoas são o ativo mais precioso das empresas”. Através delas realizamos proezas, mas é preciso respeitá-las, incentivá-las, desafiá-las, confiar no potencial delas e reconhecê-las.

 

“A eficácia da liderança, em outras palavras, envolve menos dominar situações – ou mesmo dominar conjuntos de habilidades sociais - do que desenvolver um interesse e talento genuínos em promover sentimentos positivos nas pessoas de cuja cooperação e apoio você necessita”

Daniel Goleman, ph.D. (Livro Liderança p. 98)

 

A Gestão Humanizante propõe exatamente o caminho que coloca o ser humano no centro da transformação entregando uma estrutura referencial construída a muitas mãos, gestada em parceria com as pessoas de todos os níveis em um movimento “bottom up” (de baixo para cima) e não da maneira como a Gestão Tradicional normalmente pratica – solução “top down” (de cima para baixo) no estilo nós temos a solução para os seus problemas. É fundamental que todos, absolutamente todos, independente da patente hierárquica se localizem no diagrama de causa e efeito e tenham a humildade de admitir suas necessidades de melhoria em um ambiente seguro para exposição. Um ambiente que admite a imperfeição inerente ao pacote humano, um ambiente com segurança psicológica.

Diagrama Uma Outra Abordagem.jpg
bottom of page