Buscar
  • Laudio Nogues

Inteligência Emocional – o diferencial humano

Atualizado: 10 de Nov de 2019

Existe uma vasta literatura sobre o assunto, mas o mais famoso escritor sobre o tema é o psicólogo norte americano Daniel Goleman.


Goleman deu contornos à matéria e subdividiu-a em 5 tópicos: Autoconsciência, Autogestão, Automotivação, Empatia e Habilidade Social. Todos temos uma familiaridade maior com a medição do índice de inteligência humana, popularmente chamado de QI (quociente de inteligência).


Havia no passado uma supervalorização das pessoas que possuíam QIs elevados; com o tempo, fomos nos conscientizando que não adianta possuir um QI alto quando não se pode usá-lo no seu potencial máximo. Ficou provado que existia outra variável de grande influência na possibilidade de sucesso – a capacidade de usar inteligentemente nossas emoções. Nasce então, um segundo fator a ser medido e intencionalmente administrado – A INTELIGÊNCIA EMOCIONAL (IE).


Resumidamente, IE é a habilidade de reconhecer, controlar e entender o que nossas próprias emoções nos dizem. Ser inteligente emocionalmente quer dizer também ser capaz de reconhecer as necessidades e desejos emocionais de outras pessoas e responder a elas apropriadamente. De maneira simples significa autoconhecimento e habilidades interpessoais.


IE é extremamente necessária para construir sua credibilidade, criar seu senso de identidade e eficácia ao lidar com problemas que envolvem outras pessoas, cooperando e participando produtivamente de um grupo de trabalho.


Trabalhando com IE você será capaz de: superar conflitos sem importância - focando prioritariamente nos interesses do grupo, enfrentar de maneira eficiente conflitos mais sérios e crescer com o aprendizado trazido pelas dificuldades.


Benefícios mais evidentes da IE

· Melhora na performance individual

· Maior satisfação no trabalho

· União do time

· Melhora no rendimento do time (rapidez e eficiência)


IE pode parecer uma aptidão nata de cada indivíduo, mas a boa notícia é que estudos já comprovaram que você pode (e deve) desenvolvê-la.

6 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo